Estás cansada de ouvir falar em Coaching e não ter uma visão clara do que significa? Eu confesso que era o que me acontecia, antes de ter começado o meu percurso profissional. E, deixa-me dizer-te, fui em busca de algo completamente diferente daquilo que encontrei. Felizmente, a realidade superou as minhas expectativas… largamente. Para definirmos o autocoaching, temos de nos relacionar com o Coaching.

O que é o Coaching?

É o processo através do qual encontras formas mais eficazes de alcançares o objetivo a que te propões. Pelo menos, esta é uma das definições catitas mais partilhadas. Ora, isto diz muito mas não diz nada na verdade. Vamos aqui deslindar o mistério, analisando passo-a-passo.

Processo implica que tem princípio, meio e fim. Ou seja, é algo que começa numa data concreta, de forma intencional e com vista a ter um fim, definido também. Aliás, esta característica de “finalização” é que me afasta da pureza do Coaching e me levou a criar o Life Design. Não me faz sentido descobrirmos ferramentas ótimas e super eficazes de transformação para depois parar o processo, fazer uma pausa e recomeçar mais à frente.

Enquanto ser humano, procuro ser todos os dias um pouco melhor, em vez de viver constantemente num ritmo de sprint-pausa-sprint. Até porque no início da minha carreira, via muitas Clientes a terem de abandonar os seus objetivos porque a vida tinha trazido algum imprevisto.

Como se faz Coaching?

O Coaching processa-se através de sessões, também elas com tempo concreto definido. Como que uma fatia de tempo em que dedicas toda a tua atenção aos teus objectivos. Tem como principal missão:

  • ajudar-te a tomares maior consciência dos teus recursos e realidade
  • despertar e aumentar a tua ambição (para que queiras sempre chegar mais longe)
  • ajudar-te a encontrares meios alternativos para conseguires os teus objectivos
  • estabelecer planos de ação mais práticos e eficientes, com vista a reduzir o teu esforço

No Coaching, há dois intervenientes: o Coach e o Coachee. O Coach deve ser imparcial, neutro, perspicaz, atento e dotado de ferramentas técnicas capazes de te desafiarem. É um elemento indispensável, pelo menos no início do teu percurso de desenvolvimento pessoal ou transformação pessoal.

O que é o autocoaching?

É o processo pelo qual vais cumprir a missão, sem uma ajuda externa. Ou seja, vais questionar-te, desafiar-te e focar-te naquilo que te é importante. Só não tens aquela pessoa externa, imparcial e irritante, a questionar tudo o que dizes. Só por si, confesso que o autocoaching não me parece suficiente para a maioria dos casos e explico-te porquê:

em todas as Clientes, encontrei crenças limitadoras profundamente enraizadas

Crenças simples mas marcantes como “nunca fui boa a fazer ____”, “sempre foi assim” ou “não posso”, “tenho de”… Expressões que usamos no nosso quotidiano e que ficam de tal forma enraizadas que limitam as nossas decisões. Torna-se essencial ter alguém com quem partilhar o percurso a realizar.

Quem te pode ajudar?

A escolha óbvia seria a tua família e amigos mas, repara, pode ser um erro. Se o que procuras é uma mudança, as pessoas que já te conhecem, podem manter-te agarrada aos padrões anteriores. O que procuras é recomeçar e ninguém melhor do que quem te vê pela primeira vez. Pessoalmente, gosto muito de grupos informais. Um conjunto de pessoas como tu, que querem recomeçar e que procuram apoio e desafio na sua caminhada. Tens o Clube de Coaching, por exemplo.

Uma outra opção é organizares um grupo próximo de ti, com uma rotina semanal – entre 7 a 10 dias de intervalo. O encontro deve ser até 12 pessoas e uma duração de cerca de 2 horas. Como existem os clubes de leitura ou os clubes de tricot, podes criar o teu Clube presencial de Coaching. Lembra-te que o objetivo é encontrares pessoas que não te conhecem ou têm a capacidade de se renovarem.

Funciona mesmo?

SIM! Tanto sim!! Eu devo ser uma espécie de amostra de laboratório: em 10 anos consegui alcançar objetivos que nem pensava serem possíveis. Além do meu exemplo pessoal, há várias centenas de exemplos capazes de te inspirarem. Mas acima de tudo deves criar o teu próprio exemplo. Inspira-te, renova-te e trabalha para conseguires a tua mudança!

Qual é a melhor parte? Auto-Life Design

Ou seja, ferramentas semelhantes, numa perspectiva totalmente diferente. Todas as semanas te focas num objetivo de melhoramento. É mais acessível, mesmo em caso de crenças limitadoras. Em vez de, simplesmente estares focada num objetivo e a correr atrás dele, passas a levar a vida com um foco permanente mas suave de construção e caminho. É como correr imenso e depois parar durante um tempo para voltares a correr noutra altura ou decidires fazer caminhadas diárias.

Se queres saber mais sobre auto-life design, subscreve a newsletter. Quando fizeres parte, vais receber semanalmente novos conteúdos. Fica atenta!

O melhor da vida é conheceres o teu poder pessoal e saberes como o utilizar.