Sim, vamos falar sobre Coaching e Desenvolvimento Pessoal, mas não tem de ser de forma aborrecida, pois não? As ferramentas andam aí, disponíveis à nossa volta. Só precisamos de as transformar em perspectivas nossas e torná-las forma de estar. Sermos mais felizes, não tem de ser uma coisa técnica com objetivos racionais e momentos específicos.

Sabes qual é o meu “monumento” mais apreciado quando viajo? As pessoas. Adoro passar algumas horas a observar os usos e costumes da região. Aprendemos tanto a ver os outros. A sua forma de andar, a sua expressão facial, os seus hábitos de consumo… Recentemente, estive em Genebra. Confesso que a última vez que lá estive já foi há 14 anos e com outro poder económico (carteira de estudante) e outra maturidade (jovem imberbe), esta visita soube-me a inauguração de marcador.

Vou poupar-te a mais detalhes e partilhar apenas o que é útil para o teu desenvolvimento pessoal. O mais valioso que reparei foi no facto de ser uma cidade organizada para a intencionalidade da ação. E por intencionalidade, podemos bem dizer

Responsabilidade da Ação

Mais do que apenas assumirmos as consequências, agirmos de forma orientada a um objetivo concreto, é uma ferramenta poderosíssima. Algo que tenho aprendido nas muitas sessões de Coaching que já fiz, é que o processo de pensamento estratégico se torna rapidamente parte de nós.

uma história engraçada: durante algum tempo, tinha um caderno onde anotava a aprendizagem de cada sessão. (sim, porque o Coach também aprende muito com o seu Coachee). O meu objetivo era escrever um livro chamado “lições de vida em 3000 pessoas”. Quando cheguei às 436 sessões, desisti do projecto. Porquê? Nenhum motivo em especial… apenas acreditei que ia deixar escapar uma sessão, depois só outra… e passaram alguns anos, entretanto. Um enorme conjunto de “só esta sessão”.

O benefício da intenção

Quando ages intencionalmente, consegues 3 benefícios fantásticos:

  • consegues usufruir mais das tuas conquistas
  • consegues antecipar mais facilmente o resultado
  • consegues aumentar os ganhos

É surpreendente ver o custo de vida de Genebra mas acima de tudo, é surpreendente ver como isso os ajudou a viver mais intencionalmente. A comida tem preços elevadíssimos. Quando nasce um bebé, começas logo a pagar seguro de saúde… obrigatoriamente. Resultados? Tem menos desperdício alimentar. As pessoas compram aquilo que pretendem mesmo consumir. (claro que há sempre excepções, mas vi compras muito mais ponderadas) Da mesma forma, a gravidez é planeada de outra maneira. Não tanto o “apetece-nos, bora lá ter um filho”, mas sim o “ok, vamos reunir condições e ter um filho”.

Responsabilidade gera responsabilidade.

No sentido de “planear e agir intencionalmente, gera um sentimento de realização e concretização por tudo o que alcanças e constróis”. E passas a sentir-te mais forte, com mais poder pessoal e valor. Porque sabes que tudo o que tens é resultado do que fizeste. É uma questão de cultura ou estilo de vida.

É claro que, no início, pode ser assustador. De repente, perceber que tudo o que tens é resultado do que tens feito. E quando o que temos não é o que queremos, pode ser entristecedor, além de assustador. Mas essa é a perspectiva antiga, a perspectiva da dependência. Se queremos mais felicidade e realização pessoal, a perspectiva mais adequada é percebermos que onde estamos é ponto de partida. Se o que tens não é o que queres, é porque tens reagido de forma espontânea, provavelmente.

 

Queres uma ferramenta de Life Design?

Não há uma receita simples que possa partilhar aqui em forma de lista super resumida e ter um efeito super eficaz. Mas claro que tenho algo para partilhar contigo. (mas já sabias isso, certo?) 

    1. começa por ver aqui o artigo sobre Sucesso e preencher os teus dias ideais no mega PDF que criei para ti. (obviamente, o design é dear dots… como resistir?)
    2. agora faz o donwload desta ferramenta de Life Design e vamos começar a preencher. Começamos com a área da vida que mais te preocupa. Seleciona-a e anota no campo correspondente. Se queres saber mais sobre as áreas da vida, podes inscrever-te no curso aqui (e recebes o teu planner de life designer, se indicares a tua morada).
    3. Quando já escolheste a tua área a trabalhar, é altura de indicares os elementos que fazem parte do teu ideal. (Mais sobre ideal no artigo sobre Sucesso, que referi há pouco).
    4. Agora, analisa quais já alcançaste. Parte novamente do topo e vai subindo no termómetro da realização, por cada conquista alcançada.

Informações extra

    1. Cada pequeno ponto, deve ser inserido numa linha individual. Por exemplo: família – 5 filhos. Cada filho será uma linha. Queres ajuda? Podes contar comigo no e com a equipa no grupo de Coaching. Posta lá a tua dúvida.

      Os elementos que indicas devem ser listados partindo dos mais importantes e concluindo com os mais superficiais ou detalhes de perfeição. (do oxigénio às cerejas no topo do bolo).

      2. Quando encontras a primeira quebra, deves ver qual é a letra correspondente no desvio e voilá! Eis o teu desvio-ladrão, que te está a roubar a realização.

Agora já podes viver com intencionalidade

Esta é daquelas ferramentas que usamos em sessão para ajudar o Cliente a perceber melhor que teres “tudo” não significa que tenhas de sentir-te feliz. Os temperos da vida é que nos fazem saborear mais e vão crescendo, à medida da nossa aprendizagem.

 Aquilo que queres hoje, é idealmente menos do que vais ambicionar daqui a 3, 5 ou 20 anos. A isso chamamos o verdadeiro desenvolvimento pessoal. Querer mais, fazer mais, construir mais. Espero que esta ferramenta te ajude a perceber melhor o quanto de desviaste do caminho ideal para ti.

Assim que o percebas, facilmente vais poder incluir pequenas escolhas que te reaproximem. Tal como um GPS, quando te enganas no caminho, não diz “desista da viagem, já fez asneira!”, diz-te sim “faça inversão de marcha na próxima rotunda”. E é assim o caminho de uma vida intencional.